Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DO POPULISMO...

por Francisco Galego, em 23.10.18

Neste nosso tempo, vemos-nos frequentemente confrontados com atitudes, acções e manifestações de casos que incluimos no conceito de populismo. Este conceito que, nas suas origens, apontava para uma avaliação positiva das atitudes que como tal eram referidas, são agora cada vez mais frequentes e têm uma avalição cada vez mais pesada e negativa. Em contrapartida, quanto mais negativa, mais atrai a colaboração e o apoio de um maior número de gente.

São os casos que implicam a exposição e humilhação de acusados, mesmo quando não existe ainda prova confirmada de que existe culpa. São as reacções dos que, armados em justiceiros, inventam, proclamam de longe publicando acusações e comentários, por via directa, ou através de meios de comunicação social, levando-nos a pensar que, ainda que os meios tenham mudado muito, são homens muito iguais aos que encheram os circos romanos para verem os cristãos serem acusados e lançados às feras, ou os que acorriam às praças públicas para assistir à exposição e à morte na fogueira, dos acusados de crimes vários pela Santa Inquisição.

Onde é que, nestes casos de insano populismo, está a racionalidade que o deve distinguir os homanos dos outros animais? Como conciliar essas atitudes com a frequente proclamação de que os homens devem agir de modo virtuoso?

O homem virtuoso deve pensar antes de agir. E agir bem, segundo regras que garantam a justiça e o bem comum da sociedade. Devem ser virtuosos e corajosos dominando os seus impulsos, sem se deixarem dominar pelos seus desejos e censuráveis tendências.

O homem virtuoso deve, por condição, ser um animal social e a vida em sociedade deve ser organizada e mantida segundo as regras constituídas pelo direito, ou seja, pelo sistema normativo que garante o bom funcionamento da sociedade. O direito existe para que a justiça prevaleça.

Atendendo a tudo isto, como explicar o populismo que por aí medra?

Medra porque é o reflexo da cobardia e da ausência de moralidade que revelam os que apoiam certo tipo de manifestações, porque os vilões só mostram coragem quando têm o pau na mão. E porque, tal como as hienas, só mostram ousadia e coragem quando têm a certeza de serem em maior número e mais fortes do que as suas vítimas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:03


1 comentário

De pvnam a 28.10.2018 às 20:22

A defesa da LIBERDADE deve ser uma paixão!
Há que dizer não aos europeus (e a outros da mesma laia) com tiques dos impérios!
Ñão é tempo de lamentações, é tempo de mobilização: URGE O SEPARATISMO-50-50!!!
[manifesto em divulgação, ajuda a divulgar]
.
.
.
O europeu com tiques dos impérios, do presente, continua igual ao do passado: não suporta (e procura sabotar demograficamente) a existência de povos autóctones que procuram, sossegadamente, sobreviver pacatamente (e prosperar ao seu ritmo) no seu 'canto' do planeta.
.
Mais, para o europeu com tiques dos impérios a rentabilização de investimentos é UMA RELIGIÃO NAZI: ele (em conluio com a elite da finança, nomeadamente, a máfia do armamento) se pudesse aplicava um holocausto massivo aos autóctones, cujas intenções Identitárias, coloquem em causa interesses económicos:
-1- autóctones, que têm a SORTE de não estar numa 'ponta esquecida do planeta', são alvo das mais variadas coacções, sancões...
-2- agora, autóctones que têm o AZAR de estar numa 'ponta esquecida do planeta', esses, levam com um holocausto massivo em cima:
---» no passado povos autóctones da América do Norte, da América do Sul, da Austrália foram alvo de holocaustos massivos...
---» em pleno século XXI tribos da Amazónia têm estado a ser massacradas por madeireiros, garimpeiros, fazendeiros com o intuito de lhes roubarem as terras, muitas das quais para serem vendidas posteriormente a multinacionais; FMI's e afins falam no assunto... népia - povos autóctones a viverem pacatamente (e a prosperarem ao seu ritmo) no planeta ia prejudicar o crescimento económico mundial em 0,0x %...
.
.
.
Uma obs: A UNIÃO EUROPEIA COMO AGENTE DE PAZ É UMA FALÁCIA... de facto, a máfia do armamento tem instaladas fábricas na União Europeia... e... toda a gente sabe como são as negociatas da máfia do armamento: ela suscita guerras fornecendo armas a «grupos rebeldes» (sim, é verdade: os «grupos rebeldes» não possuem fábricas de armamento)... depois, em troca, a máfia do armamento tem acesso a recursos naturais (petróleo, etc) fornecidos pelos «grupos rebeldes» ao desbarato;
E MAIS: a máfia do armamento procura encaminhar refugiados de guerra para locais aonde ela possui investimentos... que é necessário rentabilizar (abundância de mão-de-obra servil, etc).
Ora o que é que o Parlamento Europeu, infestado de europeus com tiques dos impérios, faz:
- exerce todo o tipo de ameaças (coacções, sanções, etc) sobre aqueles que não se querem vender à máfia do armamento... ou seja, povos autóctones que querem sobreviver pacatamente planeta.
E POIS É, COMO SERIA DE ESPERAR: o parlamento europeu não chama à responsabilidade os países da União Europeia aonde a máfia do armamento tem instaladas as suas fábricas.
.
.
.
.
Anexo:
MOBILIZAÇÃO DE NACIONALISTAS PARA O SEPARATISMO-50-50
.
O importante legado dos Nacionalistas para o futuro é:
-» criar condições para que as pessoas que valorizam mais a sua condição autóctone, do que a sua condição globalization-lover, possam viver em PAZ E LIBERDADE!
-» ou seja:
- Todos Diferentes, Todos Iguais... isto é: todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» INCLUSIVE as de rendimento demográfico mais baixo, INCLUSIVE as economicamente menos rentáveis.
.
.
Nota 1: Os 'globalization-lovers', UE-lovers. smartphone-lovers (i.e., os indiferentes para com as questões políticas), etc, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
-»»» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
.
Nota 2: Os Separatistas-50-50 não são fundamentalistas: leia-se, para os separatistas-50-50 devem ser considerados nativos todas as pessoas que valorizam mais a sua condição 'nativo', do que a sua condição 'globalization-lover'.
.
Nota 3: É preciso dizer NÃO à democracia-nazi! Isto é, ou seja, é preciso dizer não àqueles... que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros!!!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D