Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




AS “SAIAS” NOS CANCIONEIROS POPULARES ( II )

por Francisco Galego, em 05.03.14

O “Cancioneiro Popular Português” coligido por J.Leite de Vasconcelos

 

            José Leite de Vasconcelos deixou acumulados em pastas milhares de documentos que foi laboriosamente recolhendo ao longo da sua vida de 83 anos. Viveu entre 1858 e 1941.

            Os seus testamenteiros,  entre os quais se destaca para a missão de dar à estampa grande parte desses documentos, o Professor Orlando Ribeiro que, com a colaboração do professor Viegas Guerreiro, seu colega no Centro de Estudos Geográficos da Faculdade de Letras de Lisboa, irão encarregar a Drª Maria Arminda Zaluar Nunes da coordenação do “Cancioneiro”.

 

            Nesta obra encontram-se as quadras com a indicação precisa da terra em que foram recolhidas.

            No que respeita ao Alentejo, podemos, a partir da correspondência trocada entre J.L. de Vasconcelos e A.T. Pires, deduzir que, na maior parte dos casos, os registos da recolhas efectuadas tenham sido feitos por volta de 1891, ano em que o eminente etnólogo viajou pelo Alto Alentejo, tendo sido visita e hóspede do etnógrafo elvense com quem se correspondia com grande frequência.

 

Neste cancioneiro, estando claramente indicada a sua identificação com Campo Maior, podemos proceder de modo diferente do que foi feito para o “cancioneiro” de Tomás Pires. Neste só podíamos concluir que algumas das cantigas recolhidas na actualidade constavam desse documento. Logo, é legitimo concluir que eram mais antigas do que, à partida poderíamos ter pensado. No “cancioneiro” de J. L. Vasconcelos vamos encontrar cantigas identificadas como sendo de Campo Maior que não constavam da recolha que foi feita para a elaboração deste livro. Poderá isso significar que elas não permaneceram na memória colectiva. Assim, porque um dos objectivos principais deste trabalho consiste na inventariação e na preservação do “cantar e bailar as saias”, houve o cuidado de transcrever as quadras claramente identificadas como tendo sido recolhidas em Campo Maior.

 



 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:11



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D