Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




CANTIGAS AO DESAFIO VI

por Francisco Galego, em 31.12.11

Uma das formas mais elaboradas do Cantar ao desafio consistia num processo de improvisação poética em que, cada um dos cantadores pegava sempre no ponto deixado pelo outro cantador. Iam assim encadeando as quadras sem se afastarem do tema principal do desafio. Se fosse bastante o engenho dos cantadores, o desafio devia ter o seu remate quando um deles voltasse ao conceito expresso na primeira quadra cantada no desafio.

 Repare-se como o exemplo que se segue ilustra o nível de lirismo poético que alcançavam algumas destas composições. Este exemplo demonstra também como, desta forma, se podia, cantando, fazer vibrantes declarações de amor. A sequência das quadras constitui um belo exemplo de “cantigas retornadas”, em que se retomam, em ordem diferente, versos da estância anterior.

O desafio decorreu entre dois jovens enamorados cujo namoro não seria bem aceite pela família da moça. Proibidos de se falarem namorando à porta ou à janela, aproveitaram o baile para trocarem juras de amor:

 

- Teu pai, tua mãe não querem,

Cara linda que eu te logre;

Queira eu e queiras tu,

Mais que o amor ninguém pode.

 

 

- ‘Inda que meu pai me mate,

Minha mãe me tire a vida,

Minha palavra está dada,

Minha alma, prometida.

 

- Tua alma prometida,

Prometida a minha mão;

‘Inda que teu pai não queira,

Tua mãe diga que não.

 

- Minha mãe diga que não,

Chovam censuras aos molhos,

Minha palavra está dada,

Juro p’la luz dos meus olhos.

 

- Esses teus olhos tão lindos,

Prendem-me de tal maneira,

Que hei-de casar contigo,

Queira o teu pai ou não queira.

 

- Queira o meu pai ou não queira,

Queira a minha mãe ou não;

Hei-de te manter bem preso,

Nas grades desta prisão.

 

- Nas grades dessa prisão,

Mas que doce o meu sofrer;

Queira a tua mãe ou não,

P’ra sempre te hei-de querer.

 

- Tu sempre me hás-de querer,

Espero que seja verdade;

Se um dia me não quiseres,

Dou-te a tua liberdade.

 

- Dás-me a minha liberdade,

Como queres que eu a queira,

Se a luz dos olhos teus

Me prende desta maneira?

 

- Prende-te dessa maneira,

Amor do meu coração;

Se a mim te prendem meus olhos,

A ti me prende a paixão.

 

- A ti te prende a paixão,

Vamos assim rematar:

Queira o teu pai ou não queira,

Havemos de nos casar.

        

 

feliz ano novo

 




 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:23



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D