Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A Feira de Elvas

por Francisco Galego, em 23.09.09

 

Há sessenta anos atrás, a feira de Elvas era ainda um acontecimento importante na vida dos que viviam em Campo Maior. Minha avó materna era de um entusiasmo total pelo São Mateus. Muitos dias antes já ela tinha começado os preparativos: apalavrando os carros para o transporte; comprando os enchidos; confeccionando os bolos; juntando ingredientes e condimentos para preparar as comidas.
Nós éramos dos que partíamos mais cedo e, muitas vezes, éramos também dos que mais tarde regressávamos. Na véspera da partida, começavam-se a juntar as coisas na sala de entrada da casa da minha avó: colchões, mantas, trouxas de roupas, cestos com loiças e outros com comidas, cadeiras desdobráveis, mesas desmontáveis.
            Abalávamos para o São Mateus, em tribo todos metidos nos carros de canudo que nos transportavam caminho da cidade. Com o carro do meu tio e mais dois que se alugavam, fazíamos um luzida caravana que cuidava de abalar cedo para ocupar os lugares que minha avó estrategicamente tinha escolhido como sendo os melhores. Chegados, armávamos o acampamento dispondo os carros à volta do espaço que seria o nosso habitat durante os dias de permanência na feira. Naqueles dias éramos um pouco ciganos.
A feira do São Mateus era o período de férias que anualmente nos eram concedidas. Permanecíamos cerca de oito dias acampados no Sítio da Piedade no meio dos olivais. Os bons negócios faziam-se com calma depois de passado o rebuliço dos três dias oficiais que devia durar a feira. Por isso, depois da feira acabada é que se concretizavam algumas compras como os “peros” ou maçãs cheirosas e doces que vinham do Algarve, as facas, os barros dos louceiros do Redondo e o “peixe-leitão”, uma espécie de cação seco, que se usava para cozinhar saborosas sopas de pão.
Feitas as compras organizava-se o regresso. Cansados dormitávamos ao embalo dos carros sabendo que, no próximo ano, estaríamos de volta àquele local.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D