Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




DA DEMOCRACIA

por Francisco Galego, em 14.07.15

A democracia surgiu como um modelo de organização das sociedades humanas em que todos participavam nas decisões que garantissem o bem de todos. Para garantir um funcionamento justo, eram estabelecidas as regras que definiam a Lei. Escolhiam-se os que deviam tomar as decisões - os que governavam - e os que faziam respeitar a Lei - garantindo a segurança e a ordem, usando da autoridade.de que nela  foram investidos.

A democracia nasceu por contraposição às monarquias e às oligarquias. Na monarquia, o poder concentrava-se num só que tudo podia e tudo decidia – o monarca ou soberano, o que está acima de todos ( o super). Na oligarquia o poder era assumido por uma elite, grupo restrito que definia as regras e tomava as decisões que impunha a toda a sociedade.

Ligados ao conceito de democracia, estão os conceitos de povo (em grego, demos), o conceito de cidadão, o que pertence à cidade (em latim civitas) e o conceito de república, o que é de todos (em latim, res publica).

No fundo, em contraposição aos modelos de governação em que um, ou alguns, se constitem como senhores de tudo e de todos, a democracia define-se como modelo em que  o poder de decisão (soberania) é atribuido pelo povo a alguns que o devem usar em benefício de todos.

Actualmente, em certos casos, a “republica de cidadãos” parece estar a ser substituida por uma “república dos funcionários”, ou seja, de indivíduos que fazem do poder um modo de vida que adquirem e tratam de manter com o voto do povo. Mas, em vez de assumirem o compromisso de agirem em benefício de todos, exercem o poder como forma de garantir o seu próprio benefício.

Claro que tudo isto se torna mais fácil quando os cidadãos são levados - por ignorância ou por truques de manipulação das inteligências e das consciências - a não participarem nas escolhas de quem deve governar, ou a fazerem escolhas erradas dos que devem ter o poder de decidir.

Uma coisa parece ser certa: Só com bons cidadãos se podem garantir as boas democracias. Como parece existir uma tendência para cada vez menos empenho e menos capacidade de intervenção dos cidadãos, cada vez se torna mais fraca a qualidade das democracias. E, infelizmente, muitos só conseguem perceber o valor do que têm quando o perdem e começam a sentir o peso da desgraça em que passaram a viver.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:42


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D