Sábado, 23 de Abril de 2016

LOCALIZAÇÃO

 

            Três léguas a norte de Elvas

            Três léguas a ocidente de Badajoz

            Pelo termo desta vila passa o rio Caia que, em distância de meia légua, o divide do termo de Elvas. Este rio tem sua origem na Serra de S. Mamede, junto ao Monte do Sete, termo da vila de Marvão, donde desce discorrendo pelos soutos de Alegrete, campos de Arronches até próximo das suas muralhas, até ir meter-se no rio Guadiana, defronte de Telena, aldeia de Badajoz.

            Confronta também com o termo de Arronches pelo Ribeiro do Congronhil, hoje chamado da Valada, e Pedras dos Guisos.

            E com o termo da Vila de Ouguela em distância de meia légua.

 

Relação abbreviada dos factos mais recommendaveis da revolução de Campo Maior em 1808 . Fr. João Mariano de N. Senhora do Carmo Fonseca. , p. 18.

 

 

Vila antiga e praça de armas da província do Alentejo, Campo Maior demora três léguas ao norte de Elvas, três ao oeste de Badajoz, três a sul de Albuquerque e quatro a leste de Arronches.

O terreno onde está assente a povoação é alto ao Sul, baixo a Leste e Oeste, erguendo-se um pouco ao Norte. Sobranceiro a todos os lados da vila, na extremidade sul, eleva-se o castelo, forte, vistoso e imponente. Respectivamente às cercanias, a praça é baixa e dominada por muitos cerros a Leste, Norte e Oeste, na distância de mil a dois mil metros, o que constitui a sua defesa difícil e perigosa.

 

In, João Dubraz, Recordações dos últimos quarenta anos, 1868

 

 

ORIGENS

 

Campo Maior foi povoação de mil e duzentos vizinhos; hoje, por causa das guerras com Castela, se acha com oitocentos e cinquenta, com casas muito nobres e limpas…

Foi ganhada aos Mouros na era de 1219 pela família dos Peres, naturais de Badajoz; estes a deram à fábrica da Igreja de Santa Maria do castelo, sendo Bispo de Badajoz D. Pedro Peres, que lhe deu por Armas Nossa Senhora e um Cordeiro com círculo à roda que diz “Sigillum Capituli Pacensis”. Depois, no reinado de D. Dinis que lhe fez Castelo na parte mais alta do terreno para o de Elvas, havendo controvérsia entre os moradores sobre o lugar onde haviam de estender a povoação, ajustaram que no maior campo de que resultou o nome de Campo Maior.

(P. António Carvalho da Costa «1650-1715» “Corografia portuguesa e descriçam topográfica do famoso reyno de Portugal…” «1706 -1712»)

 

 

COMO SE FORMOU A VILA DE CAMPO MAIOR?

 

Segundo palavras textuais do Dr. Ayres Varella no “Teatro de Antiguidades de Elvas” foi escrito pelos anos de 1644 a 1655:

 

O castelo de Campo Maio é obra muito antiga e muito forte tanto por razão do sítio como pelas torres e muralhas. Foi fabricado pelos mouros e reparado por El-rei D. Dinis que levantou a maior torre que nele há e, por essa razão, quiseram alguns atribuir-lhe a honra de edificador.

Os romanos lhe deram o nome com muita propriedade porque daquele sítio se descobre o maior campo que há por aquele distrito.

(p. 29)

            Diz o mesmo autor que junto do castelo havia duas aldeias da jurisdição de Badajoz e que a mais populosa se chamava Joannes, ou por ser Bartholomeu Joannes a principal pessoa da aldeia, ou porque a água que para ela vinha era do Campo de Valada que pertencia ao mesmo Bartholomeu Joannes. E a outra aldeia se chamava dos Luzios, que seria perto do castelo, mas da qual não há qualquer notícia.

            Segundo Ayres Varella, o sítio da aldeia de Bartholomeu Joanne seria a um quarto de légua do castelo, para os lados de Arronches, junto da herdade chamada de Valada, num local onde ainda existia no século XVII uma fonte com esse nome, um arco de alvenaria e ruínas de casas.



publicado por Francisco Galego às 00:35
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
15
16

18
19
21
22

25
26
27
29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO