Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2017

Chegou hoje a notícia do falecimento de um dos mais eminentes campomaiorenses de todos os tempos que completaria, em Março, os 90 anos de idade. Esta notícia  não foi de total surpresa, porque o seu declínio físico se tinha vindo a acentuar. Porém, em contrapartida, a sua brilhante capacidade mental manteve-se quase até aos últimos dias. Ainda há duas semanas me tinha telefonado para que eu transmitisse, à gestão do municipio, a sua vontade de legar as vestes dos doutoramentos que recebera, ao município da nossa terra natal.  

O Professor Doutor Mário Ruivo nasceu em Campo Maior no dia 3 de Março de 1927, num edifício localizado a meio do topo leste da Praça da Républica. Filho primogénito de João Pedro Ruivo e neto de Pedro Daniel da Encarnação Ruivo. Seu pai, que começara por ser funcionário da Câmara Municipal, passara a funcionário das Finanças Públicas e, em 1929, fora deslocado para Borba, mais tarde para Évora, cidade em que desenvolveu a maior parte da sua carreira de funcionário da administração pública.

O Município de Campo Maior, no ano de 2010, prestou-lhe justa homenagem na qual, além de realçar o seu elevado mérito, alcançado por uma notabilissima carreira, procurou também dar a conhecer a importância que seu pai, João Ruivo, tivera para o desenvolvimento da comunidade campomaiorense, como grande animador cultural.

Neste momento triste de despedida, procuremos, numa síntese muito breve, responder a esta questão, de forma muito directa: Quem foi este nosso tão notável conterrâneo?

- Mário João de Oliveira Ruivo mais conhecido por Mário Ruivo, um cientista e político português, foi pioneiro na defesa dos ocenos e no lançamento das temáticas ambientais em Portugal.

- Formou-se em Biologia pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa no ano de 1950.

- Especializou-se em oceanografia biológica e gestão de recursos vivos, tendo desenvolvido empenhada investigação em Portugal e em diversos países europeus.

- Foi diretor da Divisão de Recursos Aquáticos e do Ambiente do Departamento de Pescas da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), sedeado em Roma,

- Foi coordenador da Comissão Mundial Independente para os Oceanos e membro da Comissão Estratégica dos Oceanos.

- Foi Ministro dos Negócios Estrangeiros no V Governo Provisório (1975).

- Foi presidente da Comissão Oceanográfica Intersectorial do Ministério da Educação e Ciência.

- Era, desde o dia 28 de Novembro de 1997, presidente do Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável e do Fórum Permanente para os Assuntos do Mar, tendo o Conselho de Ministros de 30 de novembro de 2016, procedido à renovação da sua comissão de serviço como presidente do referido Conselho.

Além de distinguido com  doutoramentos “honoris causa” recebeu algumas importantes condecorações:

 

            - Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal (21 de Agosto de1990);

            - Grande-Oficial da Ordem do Mérito de Malta (3 de Março de 1995);

            - Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada de Portugal (9 de Junho de 1998);

            - Grã-Cruz da Ordem do Mérito de Portugal (9 de Julho de 1999);

           

           

(NOTA: Para mais desenvolvido conhecimento, consultar Uma Homenagem Maior em Campo Maior – Homenagem ao Professor Mario Ruivo, publicada pela Câmara Municipal de Campo Maior, em 2010).

 

 



publicado por Francisco Galego às 15:54
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Janeiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

16
17
18
20
21

22
23
24
27

29
30
31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO