Sábado, 02 de Dezembro de 2017

Até á Revolução Liberalista de 1820, os termos “paróquia” e “freguesia”, eram praticamente sinónimos e designavam a unidade territorial que estava sob a responsabilidade religiosa de um pároco. A unidade administrativa era, de facto, o concelho. Daí o grande número de concelhos que existiram desde formação de Portugal, no séc. XII.

Por Decreto-lei  de 11 de Julho de 1822, foram criados, em Portugal, 758 municípios e 4.086 juntas de paróquias que, mais tarde, vieram a ser chamadas de “juntas de freguesia”. Porém, estas novas estruturas administrativas, só foram impostas, em 1832, pela reforma de Mouzinho da Silveira.

Com a Reforma Administrativa de Julho de 1835, surgiu a nova designação de ”juntas de paróquia”, ficando estas autonomizadas da organização eclesiástica em paróquias que vinham desde a Idade Média. Contudo, na maioria dos casos, os seus limites territoriais eram os mesmos.

Por decreto de Passos Manuel, em 1836, foi liquidado quase metade do elevado número de municípios que vinham da Idade Média, ficando o seu número fixado em 351 e passando os restantes à condição de “freguesias”. Foi o que aconteceu com Ouguela que, constituída como concelho em 1822, foi este concelho extinto por Decreto de 6 de Novembro de 1836, passando a ser a paróquia civil de Nª Sª da Graça de Ouguela e, como tal,  anexada ao concelho de Campo Maior.

Por Decreto de 17 de Janeiro de 1879, a freguesia de Ouguela foi anexada à freguesia de S. João Baptista. E foi definitivamente extinta pelo Código Administrativo de 1936.

 Com a Lei nº 621 de 23 de Junho de 1916, as paróquias civis passaram a assumirem o nome de “freguesias” e as estruturas eclesiásticas continuaram a serem designadas como “paróquias”.

 

São João Baptista é, em antiguidade e em importância, a segunda maior freguesia da vila de Campo Maior com 106,37 Km2 de área e, segundo o recenseamento de 2001, tinha 4.063 habitantes, densidade de 38,2 hab./km2..

A paróquia do mesmo nome foi criada em 1776 por provisão de D. Lourenço de Lencastre, bispo de Elvas.

 

Até então tinha existido, no concelho de Campo Maior, uma única paróquia que, desde a Idade Média, tinha a sua igreja matriz na “vila velha”, situada no interior das muralhas do castelo. Tivera primeiramente a evocação de Santa Clara e depois, a de Nª Sª da Assumpção.

Em 1574, por ser muito pequena a igreja velha, estar muito arruinada e não caber nela o povo, foi decidido construir uma nova matriz, mais ampla, edificada em lugar mais central, na “vila nova” fora da antiga muralha. Esta igreja passou a ser a sede da paróquia sob o orago de Nª Sª da Expectação.

 

A freguesia de Degolados foi primeiramente integrada no concelho de Arronches. Por ficar bem mais longe da vila de Arronches (15 km) do que da vila de Campo Maior (9 km), por reivindicação da sua população, em Setembro de 1895 passou a fazer parte do concelho de Campo Maior. Por protestos de Arronches, em Janeiro de 1898 voltou a ser-lhe novamente anexada. Só mudou, finalmente, para o concelho de Campo Maior a 6 de Dezembro de 1926.

 

 

 

 



publicado por Francisco Galego às 00:01
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
12
13
15
16

18
19
21
23

25
27
28
30

31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO