Quarta-feira, 04 de Fevereiro de 2015
  1. O Arranque inicial das Festas dos Artistas

 

 

Em 1893, foi um grupo de jovens ligados às actividades de comércio e aos ofícios artesanais de loja aberta, que resolveu reatar a tradição de fazer as Festas em Honra de São João Baptista que, mais uma vez, tinham deixado de se fazer desde meados do século XIX. Estes jovens eram chamados de “artistas” por terem uma “arte” ou ofício não ligado aos trabalhos agrícolas, actividade dominante da população. Daí que essas festas começaram a ser chamadas de Festas dos Artistas.

Nesta modalidade, as “Festas” realizaram-se nos anos de 1893, 1894, 1895, 1896, 1897, 1898, 1902, 1904 e 1909.

As famílias mais dotadas de posses começaram a decorar as salas de rés-do-chão, com janelas que abriam para serem admiradas pelo que passeavam pelas ruas nos dias de festa que ocupavam um fim-de-semana.

As famílias mais modestas punham vasos de plantas ao longo das frontarias. Todos, na medida das suas posses, procuravam iluminar as frontarias das casas e as janelas com lamparinas e candeias, pois que a iluminação pública era ou inexistente ou insuficiente.

Havia bailes com descantes e desafios, nos largos e nos cruzamentos das ruas. As touradas à vara-larga, era o principal acto de animação.

Neste período começou o hábito de ornamentar os largos com mastros que eram enfeitados com ramos de verdura, com bandeirolas de papel e com balões de papel iluminados.

As festas foram ganhando dimensão e prestígio, começando mesmo a atrair populações de terras próximas, principalmente de Elvas. As Festas de Campo Maior começavam tornar-se um fenómeno de cultura popular e lugar de romaria, apesar de não estarem ligadas a qualquer fenómeno de culto ou de peregrinação.

Este primeiro ciclo acabou porque acontecimentos com muito impacto social e política, alteraram o viver habitual da população. O primeiro foi a Implantação da República em 5 de Outubro de 1910, um importante facto a nível interno que mudou o regime político e desencadeou um período de sucessivos confrontos na sociedade portuguesa. Esta instabilidade interna foi agravada com a eclosão da 1ª Grande Guerra que durou de 1914 a 1918 e deixou marcas muito graves por mais alguns anos. Entre 1909 e 1921, as “Festas” não se realizaram.



publicado por Francisco Galego às 08:39
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
14

15
16
17
18
20
21

22
24
25
26
28


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO