Quarta-feira, 10 de Maio de 2017

Para além da ameaça das invasões que deviam tentar evitar, autênticas tragédias ocorriam com lamentável frequência nas praças de guerra, entre os séculos XVI a XIX, numa altura em que eram muito frequentes as guerras entre as nações, em terra pela disputa da supremacia na Europa e, nos mares, pela posse dos domínios coloniais. Daí que as praças de guerra estivessem sempre muito providas dos meios necessários para enfrentarem qualquer tentiva de domínio por forças inimigas. Contudo, bastava qualquer manobra menos prudente, a propagação de qualquer incêndio, ou o efeito de inesperadas e violentas tempestades, para que as torres que albergavam os explosivos se tornassem tremendas bombas destruindo tudo em seu redor.

Para confirmação basta referir apenas algumas das que deixaram testemunho pela dimensão dos danos prrovocados:

          

JUROMENHA: - 1659 - Grande explosão do paiol de pólvora que destruiu a maior parte da fortaleza incluindo o antigo paço.

 MIRANDA DO DOURO -  A Alcáçova do castelo da cidade foi arrasada pela violenta explosão do paiol da pólvora em 8 de Maio de 1762 que destruiu uma grande parte do núcleo urbano.

TORRES VEDRAS: Em 1810, o Castelo passou a forte das Linhas de Torres e, em Dezembro de 1846, serviu de quartel as tropas do Conde de Bonfim, de que resultou o agravamento do seu estado de ruína provocado pela explosão do paiol da pólvora.

ALMEIDA: - No cerco de Almeida que ocorreu entre 15 e 28 de Agosto de 1810, no início da Terceira Invasão Francesa,  a praça forte de Almeida estava sob o comando do Coronel William Cox. As forças sitiantes estavam sob comando do Marechal Ney. Uma forte explosão no paiol deixou a praça sem meios de defesa.

É neste quadro que se insere a tragédia que desabou sobre CAMPO MAIOR em 1732.

 

CAMPO MAIOR - EXPLOSÃO DO ARMAZÉM DA PÓLVORA

 

16 DE SETEMBRO DE 1732

4 HORAS DA MADRUGADA

UMA TROVOADA ABATEU-SE SOBRE CAMPO MAIOR

UM RAIO CAIU SOBRE A TORRE QUE SERVIA DE PAIOL

DEU-SE UMA TREMENDA EXPLOSÃO

A TORRE DE MENAGEM DESFEZ-SE EM PEDAÇOS

UMA CHUVA DE PEDRAS CAIU SOBRE O POVOADO

A VILA FICOU QUASE COMPLETAMENTE DESTRUÍDA

JOÃO V ORDENOU A SUA RÁPIDA RESTAURAÇÃO

 

É do relato desta tragéia que tratam os textos que a seguir irão ser apresentados. Eles referem um dos momentos mais trágicos da história desta povoação.



publicado por Francisco Galego às 00:04
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Maio 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
16
17
18
19

21
22
23
24
26
27

28
29
30
31


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO