Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2013

Bela cidade d’Ouguela

Dá vistas pr’a Lapagueira,

Mal empregada cidade

Estar em tamanha ladeira.[1]

 

Teu castelo tão altivo

Tão rico de tradições,

É monumento afamado

P’ra todas as gerações.

 

Fui à torre do castelo,

P’ra Elvas me pus a olhar;

A ver s’alcanço a moça,

Com quem pretendo casar.

 

Gostava que a minha rua,

Fosse chamada saudade;

Porque a rua onde crescemos,

Lembra a nossa mocidade.

 

Sou filho de gente pobre,

Tenho a minha opinião;

Nascido em Campo Maior,

Baptizado em São João.

 

Nasceste em Campo Maior,

Bem mo disse o coração;

Pelo modo de cantar,

Vê-se logo s’és ou não.

 

Moças de Campo Maior,

São muitas parecem poucas;

São com as flores do campo,

Umas encobrem as outras.[2]

 



[1] Publicada em Achegas para o Cancioneiro Popular Corográfico do alto Alentejo, por J.A. Pombinho Júnior, 1957, pág. 57

[2] Publicada em Cantos Populares Portugueses – Recolhidos da tradição oral por A.T. Pires. Elvas (1902-1910). Pág. 142.



publicado por Francisco Galego às 08:43
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
27
28


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO