Terça-feira, 05 de Fevereiro de 2013

À Igreja da Matriz

Feita de pedra morena,

Dentro dela vão rezar

Dois olhos que me dão pena.

 

Bela Igreja da Matriz,

Belo Largo do Convento,

Ó belo Campo Maior,

Onde está meu pensamento.

 

A Rua do 1º de Maio,

Dia dos trabalhadores,

Tem o nome contrafeito

Pois lá só moram senhores.

 

Com Pelourinho, palácios

E Câmara Municipal,                             

Praça Nova ou da República

Serás sempre a principal.

                                 

Campo Maior teu Jardim

É tão bom como os melhores,

De dia juntam-se os velhos

À noite escondem-se amores.

                                                       

O relógio da Matriz,

Bate as horas pr’ó Convento;

Também meu coração bate,

Horas no teu pensamento.[1]

 

Quem quiser ver maravilhas

Chegue-se a Campo Maior,

Janelas avarandadas

Casas mais lindas que o sol.

 

À entrada da Avenida

 Deu um ai meu coração,

Ajuntaram-se as estrelas

Nublou-se o céu com paixão.



[1] Idem, nº 314, Elvas, 11 de Maio de 1884.



publicado por Francisco Galego às 09:31
Boas, estou a tentar contactá-lo mas os mails estão a voltar para trás será que me pode disponibilizar o seu e-mail?
Joao a 27 de Maio de 2013 às 00:09

Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
27
28


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO