Sábado, 24 de Setembro de 2011

As festas do São Mateus,

São as festas da cidade;

Quem me dera andar bailando,

No Senhor da Piedade.

 

Já perdi o norte à terra,

No caminho da cidade;

Já nem sei p’ra onde fica,

O Senhor da Piedade.

 

Que o Senhor da Piedade,

Tenha por nós compaixão;

E nos dê por caridade,

Um ano farto de pão.

 

O Senhor da Piedade,

Tem vinte e quatro janelas;

Quem me dera ser pombinha,

Para pousar numa delas.

 

Ó Senhor da Piedade,

Na vossa capela o digo;

Já cá não venho outro ano,

Sem trazer o meu marido.

 

Ao Senhor da Piedade,

P’ro ano vou outra vez;

Quero ir agradecer-lhe,

O milagre que me fez.

 

Ao Senhor da Piedade,

Quero este ano lá ir;

Eu não lhe vou levar nada,

E nada lhe vou pedir.

 

Zanguei-me com meu amor,

Já se acabou a amizade;

À noite cantei melhor,

No Senhor da Piedade.

 

O Senhor da Piedade,

Não está em casa foi fora;

Foi visitar os enfermos,

Que estão na última hora.

 

O Senhor da Piedade,

Tem uma prenda de valia;

Uma fonte de repuxo,

Com pedra de cantaria.

 

No Senhor da Piedade,

Muita coisa lá se faz;

Uns arranjam rapariga,

Outras ficam sem rapaz.

 



publicado por Francisco Galego às 18:57
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
16
17

19
21
23

26
27
28
29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO