Terça-feira, 16 de Agosto de 2011

As Festas de 1965 foram oficialmente patrocinadas pela Câmara Municipal. A sua preparação começou logo nos primeiros meses do ano com a constituição da Comissão das Festas e o anúncio da sua realização a toda a população pela distribuição de pequenos comunicados. A primeira reunião da Comissão com a Câmara Municipal fez-se na noite de 22 de Março e nela foi aprovado o programa a realizar. No dia 13 de Abril, o Presidente da Câmara recebeu as comissões que orientaram as ornamentações das ruas no ano anterior, às quais entregou menções honrosas e exortou a que continuassem com a sua acção meritória no presente ano.

Estas foram as primeiras Festas que se realizaram com a duração de uma semana: realizaram-se de 5 a 12 de Setembro. As fotografias mostram que estas, bem como as do ano anterior, continuaram a inovação estética e a criatividade que tinha começado nos anos cinquenta. Também nestas, como nas do ano antes e nas da década anterior, se nota a forte presença da Câmara Municipal na promoção e organização das Festas do Povo. Tal como no ano anterior, à frente da Câmara estava um presidente relativamente jovem e que escapava ao perfil dos presidentes habitualmente escolhidos pelo regime. De facto, como já tinha acontecido em 1964, o Presidente José Luís Telo Rasquilha e o Vice-Presidente Luís Manuel Minas, apoiados pelos vereadores Manuel Rui Azinhais Nabeiro, José Ferreira do Rosário e Manuel Rodrigues Nunes Carrilho, empenharam-se denodadamente na promoção e realização das Festas do Povo.

O programa das Festas de 1965, apresentou-se em três línguas: português, inglês e francês. Os anúncios publicitários que nele foram incluídos, ainda são mais variados  no que respeita às terras de localização das empresas anunciantes, do que os do ano anterior e há a referência a uma dúzia de marcas diferentes de cafés, o que mostra a importância da indústria de torrefacção, naturalmente ligada ao contrabando para Espanha. No entanto, deve referir-se também que, pela primeira vez, aparecem anúncios a duas marcas de café destinadas ao consumo nacional.

 

O Linhas de Elvas de 14 de Agosto de 1965 noticiava que por desistência da empresa a quem havia sido concedida a exploração de duas corridas de toiros por ocasião das Festas, as mesmas já não se realizarão visto já não haver tempo para se realizarem novos acordos…Assim, neste ano, as touradas desapareceram da programação das Festas. De resto, a programação segue o esquema tradicional. O mesmo jornal noticiava ainda que a Comissão das Festas do Povo fechou já contrato com a Philips em Évora, para a cobertura sonora de Campo Maior de 5 a 12 de Setembro, com a colocação de 75 altifalantes ligados com o pavilhão de informações...

O semanário A Defesa em 21 de Agosto publicava o Programa das Festas e anunciava que as ruas engalanadas seriam 56, mas o Linhas de Elvas referia-se a cerca de 70.

Continuou a insistência nos espectáculos de variedades com vedetas de projecção nacional como Artur Garcia, Simone de Oliveira, Max, Maria José Valério, João Maria Tudela, Maria Marise, etc. Como já acontecera em 1964, o segundo dia foi dedicado a Espanha com a realização de um espectáculo luso-espanhol.



publicado por Francisco Galego às 12:49
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
17
18
19
20

22
24
25
27

29


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO