Quarta-feira, 01 de Junho de 2011

OS ANOS 40 (IV)

 

Nas pequenas comunidades como Campo Maior, os efeitos da guerra continuariam a fazer-se sentir ainda por muitos anos. No ano de 1943, não se encontra qualquer referência às Festas, embora se continuem a celebrar todas as outras festividades do ritual e da tradição local. Nota-se contudo, um certo retraimento sinal de que os tempos não corriam de feição. Deixa de se fazer referência à Feira dos burros que se costumava fazer na Avenida, pelo São João.

Para agravar a situação, neste ano a produção agrícola foi calamitosa. Os assalariados agrícolas, além de só terem trabalho em determinados períodos e que este ano foram reduzidos pelas más colheitas, usufruíam de salários muito baixos. Nestas condições não seria de esperar que a população se dispusesse à realização das Festas.

 

No ano de 1944, todas as condições se mantinham quer no que respeita à situação da Guerra Mundial, quer no que se refere à situação da política nacional. Mesmo no que concerne à situação social e económica em Campo Maior, há grandes semelhanças com os dois anos anteriores, porque as condições agrícolas continuaram muito desfavoráveis. Contudo, as Festas realizaram-se e, mais uma vez, foi o Grupo Desportivo da Casa do Povo que as promoveu. Só que esta instituição já não podia dispor da forte liderança do Capitão César Correia. Já não havia projectos em curso. A Casa do Povo tinha regressado ao marasmo rotineiro em que ia arrastar a sua existência até ao fim do Estado Corporativo, em 1974.

 

Jornal de Elvas, Nº 831, 27 de Agosto de 1944


Festas do Povo


   Já são no próximo dia 3 de Setembro as festas do povo desta vila em Honra de S. João Baptista, padroeiro dos campomaiorenses. Em várias ruas já se estão organizando as comissões e começaram os peditórios nas casas dos habitantes dessas ruas. Segundo consta, os programas devem estar a ser distribuídos pela presente semana. Devido às grandes dificuldades que há em adquirir o papel, fio e pregos, é natural que muitas das ruas não venham a ser ornamentadas. O entusiasmo no pessoal novo é grande.

 

Jornal de Elvas, Nº 833, 10 de Setembro de 1944


Festas


   A fim de realizar um desafio de futebol com o Desportivo da Casa do Povo, integrado no programa das festas da vila, esteve em Campo Maior o onze de honra do Sport Lisboa e Elvas que venceu por 5 bolas a duas.

   No concurso de Jazzes levado a cabo nesta vila por altura das festas, coube o primeiro prémio ao Jazz Etner de Elvas, de que é director o Sr. António Cardos Rente.

   Durante as noites das festas do povo, quatro noites, quase ninguém pode dormir, tanto doentes como sãos.

   A Praça da República foi agora convertida em recinto de bailes, certamente autorizados, onde se cobra uma certa importância por cada cavalheiro que ali deseja entrar. Na embocaduras das travessas da mesma praça são colocadas umas cordas vedando o trânsito, privando assim de se gozar naquele passeio público as regalias a que temos direito.

 

A falta de condições adequadas terá sido o factor determinante para que as Festas de 1944, tenham sido muito modestas, de muito fraca projecção e muito pouco brilho. Talvez por isso, seguir-se-ia um longo período de sete anos em que não se voltaram a realizar.



publicado por Francisco Galego às 19:30
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
18

19
20
22
23
24

26
27
28
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO