Quinta-feira, 04 de Novembro de 2010

 

Na tarde de 23, às cinco horas e quinze minutos ouviu-se um ruído que se repetiu dois segundos depois com uma intensidade horrorosa, sentindo-se então a terra tremer com violência, os prédios oscilarem, tudo acompanhado de sensível calor. Gerou pavor e pânico nas pessoas que aterradas saíram para a rua. No dia seguinte, devido ao boato de que se ia repetir à mesma hora, muita gente saiu para o campo e outros para a Avenida.

Não houve graves prejuízos materiais.

Foi do Bº de S. João até à Rua de S. Pedro que o fenómeno se fez sentir com mais violência, destruindo cerca de quatro metros da balaustrada da varanda da Igreja de S. João Baptista na parte norte, a qual caiu para a rua. A abóbada da igreja ficou fendida. As duas pilastras piramidais que se erguem da cimalha das torres, deslocaram-se ficando encostadas à cúpula da torre.

Na Igreja Matriz, apenas no interior se vêm fendas nos altares de S. Miguel e da Senhora do Carmo.

Em muitas casas abriram-se pequenas fendas.

Este fenómeno verificou-se por todo o país, sendo muito grave em Benavente, Samora Correia, Salvaterra e Carregado, onde provocou vítimas e incalculáveis prejuízos.

Vai-se efectuar um bando precatório e uma récita de teatro para auxiliar as vítimas do terramoto.

 

Publicado no Nº 1656, de 26 de Abril de 1909 do jornal "O Distrito de Portalegre"



publicado por Francisco Galego às 10:19
Aqui se transcrevem textos, documentos e notícias que se referem à vida em Campo Maior ao longo dos tempos
mais sobre mim
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

15
16
17
18

21
22
24
25
27

28
29


arquivos
pesquisar neste blog
 
Visitas
blogs SAPO